Paulo Rossi, auxiliar do 4 de Julho é demitido e expõe crise com diretor: “Você conseguiu me tirar”

0
159
Paulo Rossi foi técnico do 4 de Julho em 2016 sendo campeão invicto da Série B do Piauiense, e este ano assumiu o Colorado após a saída de Flávio Araújo e livrou o time de um fiasco no estadual, levando o clube ao 3º lugar e vaga na Série D 2022. Foto: Clemilton Silva

O auxiliar técnico do 4 de Julho Paulo Rossi foi demitido do clube e expôs nas redes sociais uma crise interna com o diretor de marketing Valdenor Brito. O ex-integrante da comissão técnica colorada confirmou ter sido desligado da equipe de Piripiri logo após a vitória por 2 a 0 para o Imperatriz, pela 2ª rodada da Série D. Valdenor apontou suposto caso de insubordinação de Rossi, que negou a acusação. O estopim do atrito entre ambos foi a retirada do nome do auxiliar técnico da lista de viagem para o jogo contra o São Paulo, na capital paulista, pela Copa do Brasil. O Colorado não se pronunciou publicamente sobre a saída do funcionário.

Ele está tentando desestabilizar a gente. Foi demitido por insubordinação a minha pessoa. Ele ainda hoje não aceitou ter ficado fora da lista para são Paulo. Se ele não foi não é por que não foi importante é porque a lista não permitida. E isso foi explicado a ele, que não entendeu. Desde então, ele cometeu todos os tipos de insubordinação. Quando foi no jogo de sábado (para o jogo contra o Imperatriz, pela Série D), ele aparece como se nada tivesse acontecido – esclareceu Valdenor Brito.

O dirigente ainda completou:

No fim do jogo, ele disse “não temos que conversar coisa nenhuma, seu po#$@”. Eu falei que tínhamos que tomar uma medida senão ele iria tumultuar o ambiente. Depois de ser comunicado, ele postou texto no Facebook desejando insucesso do clube.

Paolo Rossi confirma nas redes sociais demissão no 4 de Julho — Foto: Reprodução/Facebook

O bate-boca citado por Valdenor Brito ocorreu na porta do vestiário da Arena Ytacoatiara, em Piripiri, após a vitória por 2 a 0 sobre o Imperatriz. No domingo, o presidente Gilberto Brito comunicou a Rossi sobre seu desligamento.

No dia seguinte, o presidente me chamou para conversar dizendo que a pressão era grande para a minha demissão. Sabe por quê? Porque muitas coisas eu não sou a favor. Esse atrito é desde o jogo em São Paulo. Jogamos em Teresina, depois voltamos para casa e começamos a trabalhar a semana para o jogo com o Juventude Samas – relatou o auxiliar.

Criou-se uma expectativa para a minha viagem a São Paulo, e eu perguntei para ele se ia ou não ia. Ele perguntou se eu me zangaria se não fosse, e eu disse que respeitava a decisão deles. Eu acabei não indo para a viagem. Eu não o chamei de po#@$. Tenho testemunhas que não chamei disso – esclareceu Rossi, que negou ter cometido atos de insubordinação no clube.

De acordo com Valdenor Brito, a demissão de Rossi no 4 de Julho foi cogitada, mas evitada desde a passagem de Flávio Araújo no comando do time. À época, segundo o dirigente, existia um consenso sobre a saída do então auxiliar fixo do clube, que foi mantido no cargo.

Demitido, Paolo Rossi deixa o 4 de Julho após quase cinco meses de atividade em 2021 – o time iniciou a temporada no dia 20 de janeiro. Fernando Lopes, auxiliar de Fernando Tonet no Altos, será contratado para assumir o posto.

Fonte:globoesporte.com/pi

Nova-Otica-2

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here